Quem é você Alasca? – John Green

alasca1O livro retrata a história de um garoto, o Miles, que é um tanto anti social, adora ler biografias e coleciona últimas palavras. Até que ele decide estudar em um colégio interno. Lá ele conhece o seu companheiro de quarto o Coronel, assim chamado, e esse, já no primeiro dia, apresenta Alascas para o Miles e ambos vão marcar significativamente sua vida.
O colégio que ele escolheu, é o mesmo em que seu pai se formou, e era bastante famoso pelos grandes trotes que fazia. E é assim que ele decide fazer as malas e ir em busca de mudanças em sua vida e de amigos de verdade.
Logo de cara os seus amigos passam a ser o Coronel, a Alaska, o Takumi e a Lara, que também acaba sendo a sua primeira namorada. Durante o livro, é uma verdadeira festa, onde eles bebem fumam.. mas não pensem que o livro se resume nisso, pois o final é verdadeiramente surpreendente.
O fato de Alaska ser uma garota estranhamete misteriosa, faz com que Miles se atraia muito mais, e isso leva a um final dramático e comovente e eu recomendo a todos vocês lerem esse livro.
Outra coisa também que eu gostei, foi o jeito que estava a divisão dos capítulos, em contagem regressiva, e a ansiedade para saber o que de fato aconteceria no dia zero.

Cidades de Papel- John Green

Eu amei o livro e com certeza o recomendo a todos vocês 😉

cidades_de_papel2O livro conta uma história sobre o adolescente Quentin Jacobsen, que tem uma paixão platônica pela sua magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Seus pais eram bastante amigos, então quando crianças passavam um considerável tempo juntos, certo dia aos nove anos, resolveram dar uma curta caminhada num parquinho e encontraram o cadáver de um homem largado rodeado de sangue, junto ao tronco de um carvalho. Ambos voltaram para suas casas, mas Margo por sua vez, adorava mistérios e foi a fundo para descobrir esse. Perguntou aos policiais e conseguiu o que queria, então ela deduz que os fios dele tinham se arrebentado, entretanto, com tudo o que aconteceu depois, Quentin nunca deixou de pensar que ela talvez gostasse tanto de mistérios que acabou por se tornar um. Com o passar do tempo cada um seguiu o seu caminho, mas nenhum dos dois deixou de pensar no homem.

Muitos anos depois, em um cinco de maio, que poderia ter sido outro dia qualquer para Quentin, Margo invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja e o chama para participar de seu engenhoso plano de vingança, E ele é claro, aceita. Eles sabotam alguns de seus amigos e invadem algumas construções famosas, mas é no topo do prédio do Sun Trust que eles podem ver a cidade de papel que é orlando. Ao término dessa noite de aventuras, Quentin percebe que foi a melhor de todas. Porém, Margo desaparece no dia seguinte, essa não havia sido a primeira vez que ela sumia de repente e sempre deixava algumas pistas sem sentido para que soubessem mais ou menos onde ela está, mas que não a encontrassem antes que voltasse. Só que dessa vez foi diferente, passou-se muitos dias e não haviam notícias dela, até que Quentin resolve investigar. Ele encontra pistas que sabe que foram deixadas especialmente para ele e com a ajuda de seus amigos vai a procura dela.

Após muitos dias reunindo uma série de pistas e de mapas, Quentin encontra um comentário anonimo no Omnictionary e tem certeza que é da tão procurada Margo, dizendo que está em uma cidade de papel, que na verdade são cidades fantasma, e que ficará lá por mais pouco tempo. Então Quentin sai com os seus amigos em uma viagem de carro até Agloe, a tal cidade de papel. Eles a encontram sozinha em um prédio abandonado, Margo fica surpresa em vê-los, mas decide que não quer mais voltar, liga para os pais diz a todos que tudo está bem, e no fim, tem uma longa conversa com Quentin e da um beijo nele. Depois de se beijarem, com as testas se tocando e fitando um ao outro. Ele finalmente consegue enxergá-la quase perfeitamente.

“Eis o que não é bonito em tudo isso: daqui não se vê a poeira ou a tinta rachando ou sei lá o quê, mas dá para ver o quanto é falso. Não é nem consistente o suficiente para ser feito de plástico. É uma cidade de papel. Quer dizer, olhe só para ela, Q: olhe para todas aquelas ruas sem saída, aquelas ruas que dão a volta em si mesmas, todas aquelas casa construídas para virem abaixo. Todas aquelas pessoas de papel vivendo suas vidas em casas de papel, queimando o futuro para se manterem aquecidas. Todas as crianças de papel bebendo a cerveja que algum vagabundo comprou para elas na loja de papel da esquina. Todos idiotizados com a obsessão por possuir coisas. Todas as coisas finas e frágeis como papel. E todas as pessoas também. Vivi aqui durante dezoito anos e nunca encontrei ninguém que se importasse realmente com qualquer coisa.”

Crescendo com o karate

crescendo-karateNo mundo globalizado que vivemos hoje, a maioria das crianças e adolescentes esquecem ou não se interessam em realizar atividades coletivas (de contato físico), e acabam se isolando na frente de seus computadores ou jogos eletrônicos, esquecendo os valores sociais conquistados nas relações com os outros que nos cercam e que são de suma importância para todo ser humano.

Levar à criança e o adolescente a treinar karate é muito mais do que oferecer uma aula administrada no intuito de promover a prática de um esporte. Consiste em proporcionar um maior aprendizado por parte dos alunos, formando cidadãos mais preparados para o mercado de trabalho e para vida.

O que se observa na sociedade, é que grande parte dos jovens em idade escolar, se encontram desestimulados para estudar, com falta de concentração e até mesmo dificuldade no campo psicomotor. A prática do karate, além de desenvolver esse campo (ou seja, a movimentação, capacidade de raciocínio e velocidade de reação são estimuladas e desenvolvidas, de forma a alcançarem novos níveis, os quais possibilitam que viva seu próprio corpo de forma plena na fase da vida em que se encontra), desenvolve o afetivo e cognitivo. Também oferece aos seus praticantes, em especial os que se encontram em fase escolar, uma assimilação maior das disciplinas ministradas no colégio, resultando em um melhor rendimento escolar.

Mais que apenas fases de preparação para a vida adulta, a infância e a adolescência são períodos essenciais da vida, nos quais a pessoa vive e reage de maneiras únicas, intensas e inigualáveis. Por isso, toda e qualquer etapa deve ser mais que preparatória para uma próxima.

O karate exige de seus praticantes muita disciplina, dessa forma, indicada para pessoas que possuem uma conduta mal educada. Também indicada para pessoas tímidas, devido ao seu poder de integração, para aquelas com falta de concentração, devido a sua necessidade de agilidade, para as agressivas, devido a sua canalização de energia física e mental, enfim, a prática do karate é indicada para qualquer tipo de pessoa, gênero ou idade, contribuindo positivamente não somente para o físico, mas também para a mente e o espírito.

Em síntese, o karate além de nos proporcionar um ótimo desempenho físico, desde a infância proporciona um desenvolvimento cognitivo, extremamente importante para o crescimento do indivíduo. Ensina também a disciplina, respeito e uma boa interação na sociedade.

Fontes: karate for fun,

Amazônia, pulmão do mundo?

Amazônia pulmão do mundoDe maior floresta tropical do planeta, a Amazônia corre o risco de se tornar uma imensa área desértica, deixando de abrigar inúmeras espécies de animais e plantas, para dar lugar ao pasto ou à monocultura.

Isso se deve principalmente por causa do agronegócio, associado com a ocupação irregular de terras para a formação de povoados.

Muitas pessoas já foram vítimas de grande violência por tentarem defender a terra. Os índios Manokis, por exemplo, foram expulsos do seu território e outros 170 povos que ali residiam também sofreram com a invasão de suas terras.

Tudo começou em 1970, quando a ditadura militar decidiu ocupar o território para não correr o risco de perdê-lo. Milhares de pessoas, de todos os lugares do país, chegavam para trabalhar nas terras, mas a maioria morria ou voltava para a terra natal por falta de recursos. Os que conseguiram permanecer nas terras fizeram queimadas para cultivar seu alimento.

Havia e ainda há vários fazendeiros e especuladores interessados em apropriar-se de um pedaço de terra da Amazônia e isso, além de desmatar o que formalmente deveria ser preservado, provoca várias mortes, pois a busca incansável por terras os leva a cometer crimes ambientais e contra a vida humana.

Algumas empresas renomadas também participam da destruição da Amazônia, pois ao comprarem matéria-prima ou qualquer tipo de material ilegal contribuem para que essa ação seja continuada e o ambiente altamente prejudicado.

Além de fonte de vida para milhares de espécies, a Amazônia – pulmão do mundo – ameniza o aquecimento global, retendo e absorvendo o dióxido de carbono, limpa a atmosfera, traz circulações de águas, entre outros benefícios que estão sendo inibidos por pessoas sem escrúpulos.

É necessário que medidas rígidas e severas sejam tomadas para o bem da nação e da vida humana, que necessita da Amazônia para amenizar o estrago feito pelo homem.

Se nada for feito, em breve o pulmão do mundo provavelmente não conseguirá mais funcionar. Ruim para mim, para você, ruim para todo mundo.

Fonte: Brasil Escola

Hotel de selva na Amazônia (e arredores)

Nós ficamos em um hotel de selva chamado Ararinha Lodge, parte de um pacote de 3 dias e 2 noites que custou R$ 1.980, com direito a passeios e refeições. Trata-se de uma pousada bacaninha, sem muito conforto mas bastante agradável que fica próximo ao rio Paranã do Momuri, à margem de um dos lagos que se formam – e depois secam – na região.

Para chegar lá, saímos do porto do Ceasa, fomos de barco até um vilarejo chamado Careiro. De lá, fomos de microônibus até as margens do Rio Paranã e o restante completamos de barco.

Se você não conhece a Amazônia (ou similar), tudo é interessante, curioso ou mesmo bizarro (portanto divertido). Cerca de 80% do caminho até o Ararinha é paisagem bastante degradada, com várias fazendas de gado. Mas os 20% restante é um passeio bonito, com flora e fauna mais variada (apesar de que selva preservada – prá valer – não existe na região).

Chegando lá você precisa calibrar as expectativas. O serviço no Ararinha Lodge não é lá muito profissional, mas as pessoas são muito simpáticas e aparentemente todos se esforçam para que você se divirta naquele ambiente. O ambiente é descontraído, até porque uma boa parte da clientela é formada por backpackers e a galera não tá nem aí para formalidades.

Manaus :: Rios Negro e Solimões :: Hotel de Selva :: Amazônia

Amazonas: Rios Negro e Solimões

Manaus é ponto de encontro dos rios Negro e Solimões.

O primeiro é conhecido como o “rio da fome”, nasce na Colômbia e é o mais extenso rio de água negra do mundo, e o segundo maior em volume de água (só perde para o Amazonas, que ajuda a formar). Comparado ao Solimões, o Rio Negro tem uma acidez maior (pH 3,8 a 4,9) e consequentemente menos vida (o Rio Negro tem menos mosquitos por que a larva não sobrevive em suas águas). Devido à escassez de microfauna ocorre a falta de alimentos para os peixes, dificultando a atividade pesqueira. Sua biomassa chega a ser 200 vezes menor do que a do rio Amazonas (CALDAS, 1990).

Por outro lado, o Solimões é conhecido como “o rio da vida”. Contrastando com o Negro, este tem cor clara, nasce no Peru e corre – Andes abaixo – para o Brasil, rico em sedimentos.

Rio Negro + Solimões = Amazonas. O encontro desses dois rios forma o famoso “encontro das águas”, quando os dois percorrem o leito lado a lado sem se misturar por vários quilômetros. Confira o fenômeno nas imagens abaixo. Segundo os guias locais, os rios não se misturam em função de diferenças na temperatura, velocidade e densidade.

Manaus :: Rios Negro e Solimões :: Hotel de Selva :: Amazônia

Passeio na Amazônia: Manaus

IMG_0070A Amazônia é um lugar deslumbrante, com uma riquíssima flora e fauna, e muita água.. Apesar da beleza do lugar, poucos brasileiros arriscam o passeio. No “hotel de selva” onde ficamos éramos os únicos hóspedes brasileiros. Tinha canadense, chinês, sueco, australiano, inglês, etc., mas brasileiro, só a gente..

Vou dividir minhas fotos (e filmagens) em 4 partes: Manaus, Rios Negro e Solimões, hotel e arredores, e natureza.

Manaus é uma cidade que podia estar melhor organizada. Logo quando você chega o que chama a atenção é o aeroporto meio bagunçado (está em reforma para 2014 – mas considerando que muitos turistas visitam a cidade, devia estar pronto há uns 2 mil anos atrás, não?). Depois dessa má impressão, vem os taxistas manauaras, que parecem todos irregulares, só que não, são desorganizados mesmo (carro preto, descaracterizado, sem taxímetro). Continue lendo “Passeio na Amazônia: Manaus”