O Centauro no Jardim- Moacyr Scliar

o centauro no jardim1O Centauro no Jardim é um romance que conta a história de uma figura mítica meio homem meio cavalo rejeitado pela família em seu nascimento e isolado do mundo desde a infância, que um dia resolve fugir e desafiando todas as probabilidades encontra o amor da sua vida.
Desde o momento em que nascera até a aceitação da família, quem cuidara dele fora a parteira. Guedelli, o nome do centuaro, cresceu com duas irmãs queridas que o amava e um irmão que tinha inveja dele pela atenção que recebia. Sua família viera da Rússia para uma fazenda no interior do Rio Grande do Sul, Guedali teve dois amigos em sua infância, mas não eram de fato amigos do centaurinho. O primeiro foi Peri, um indiozinho avistado apenas uma vez por ele, e o segundo foi Pedro Bento, seu vizinho, um rapaz de péssimo caráter, que inclusive foi o ápice para que o pai de Guedali decidice se mudar para Porto Alegre.
Aos vinte e um anos Guedali resolve fugir de casa e vai parar num circo, lá ele encontra uma domadora de leões e a convence de que são duas pessoas numa fantasia de centauro e é com ela que ele tenta ter a sua primeira relação sexual, mas tudo da errado quando ela percebe que ele é de fato um centauro então ele foge trotando para longe até que se depara com Tita e vê que ela é uma centaura, esta estava fugindo do pai que queria matá-la, mas tem um ataque cardíaco de tanto correr atras dela que morre. Tita leva Guedali consigo para sua casa e logo se apaixonam.
Quanto ao resto da história, quem quiser saber terá de ler o livro, mas envolve tramas e traições que no final os dois percebem que devem ficar juntos. E em relação ao livro, ele termina no mesmo lugar em que começou em São Paulo num restaurante tunisino chamado Jardim das Delícias, onde Guedali está com Tita e seus amigos comemorando o seu aniversário. Admito que um fator realmente intrigante na história, seja o final dela, pois neste restaurante, está Tita contando a história deles para os amigos, mas uma história completamente diferente, como se fosse uma nova versão sem que eles fossem centauros, e de fato ela tinha uma explicação coerente para todos os fatos ocorridos, deixando o leitor na dúvida de qual das versões é a verdadeira. Não irrelevante o objetivo do autor com o livro, que foi realmente transmitir essa ideia da dupla personalidade dos judeus quer racial quer religiosa.

Homofobia

homofobia1Homofobia é um medo irracional, e assim como outros preconceitos, utilizado para rebaixar ou desvalorizar, no caso, o homossexual, colocá-los numa posição de inferioridade baseando-se numa lógica que seria uma norma padrão, a heterossexualidade. Ainda assim, alguns pesquisadores destacam o medo que o homofóbico tem de sentir atração por alguém do mesmo sexo, nesse contexto, ele rejeitaria os seus desejos com ações homofóbicas.
Algumas pessoas acreditam que se fosse permitido o casamento entre pessoas do mesmo sexo, e que se houvesse uma exposição pública, isso influenciaria as crianças a quererem seguir esse caminho, mas além disso não passar de um equívoco, pois se seguir essa teoria os heterossexuais também influenciariam elas, qual seria o problema se as crianças do futuro quisessem ser homossexuais? Qual é a grande questão que padroniza a todos nós como heterossexuais?
Essa é a questão, não há uma questão! Desde muito anos atrás já haviam gays até mesmo ocupando cargos extremamente importantes para aquelas civilizações, haviam reis e governantes homossexuais, mas o que aconteceu daqueles tempos para cá? A religião aconteceu, as igrejas condenavam os que fossem diferentes dos heterossexuais e diziam que aquilo era coisa do diabo, e eles conseguiram introduzir esse pensamento na cabeça das pessoas. Por exemplo, por muito anos se acreditou que a AIDS só seria transmitida entre os homossexuais, e que os heterossexuais estariam a salvo dessa doença, fator que hoje sabe-se não ser verdade. Mas essa questão da AIDS, continuou mantando algumas confusões e sustentando ideias sem nenhum fundamento.homofobia

Os homossexuais são pessoas iguais a nós que também têm o direito de serem felizes com quem quiserem e como quiserem, nós nascemos e crescemos com esse preconceito na cabeça, e nossos pais e avós também, mas mal sabemos por que direito. E muito pelo contrário do que algumas pessoas pensam, se inseríssimos e aceitássemos tantos os homossexuais como quaisquer outros grupos em nossa sociedade, as crianças cresceriam com essa realidade, e um pensamento e mentalidade muito mais abertos para mudanças que estão para acontecer.

Eu e o Teatro

teatroGente nesse semestre eu tive a grande oportunidade de fazer algumas aulas de teatro na “casa de teatro”, com um maravilhoso professor o Zé Adão Barbosa e foi uma experiência fantástica! E aqui vai um pouco da história e o que é o teatro para vocês entenderem um pouco mais.

 O que já diz o significado da própria palavra teatro, observar atententamete, apreciar. É uma forma de arte, em que os representantes (atores) criam, refazem, circunstanciam e interpretam uma história, cada um com sua personagem, recriando assim, uma forma de humor, entretenimento, drama, romance ou aventura. IMG_2379

A origem do teatro ainda é um mistério. Vários historiadores têm especulações distintas. A mais aceita é a de que a primeira noção de teatro teria ocorrido por volta de 80.000 a.C, a partir da transmissão de ensinamentos por meio de interpretações artísticas, como, por exemplo, a dança, a música e a pintura.

IMG_2542O teatro não se trata somente de representação por parte dos atores, mas sim, essencialmente, despertar sentimentos no público, felicidade, risos, tristeza, solidão, quase sempre com o acompanhamento de dramaturgos ou diretores técnicos, em situações de improviso. O teatro básico, é formado por: Personagens, podendo ser representados por pessoas, bonecos, ou elementos cênicos; Enredo, que é a trama onde os personagens se encontram; Plateia, que é o elemento essencial para que exista um espetáculo, são os espectadores, aqueles que irão assistir e julgar o trabalho do dramaturgo.

Resumindo, o teatro deve ser entendido como uma forma de arte na qual deve-se expressar os sentimentos, e usar os próprios para recriar as situações e crises da personagem interpretada. Sendo muito recomendado para pessoas mais introvertidas, o teatro pode ser “anestésico do mundo real” ou “lugar onde eu posso ser eu mesmo sem ninguém me criticar”.IMG_2990

 E por último, eu gostaria de salientar que foi graças ao meu pai eu tive a imensa e gratificante oportunidade de conhecer um pouco do teatro, e embora tenha acabado, admito que amei a experiência, e se houvesse mais de tempo gostaria de fazer esse curso novamente, ou um de montagem. Mas recomendo a todos vocês que façam e conheçam um pouco mais do teatro.

Eutanásia

eutanásia2O conceito de eutanásia, cujo significado do próprio nome diz, é uma boa morte, ou morte sem dor, e sua prática é sustentada justamente pelo motivo de que um paciente que esteja sujeito a intoleráveis sofrimentos, físicos ou psíquicos, tenha a liberdade para escolher a sua morte. A eutanásia e um tema polêmico e muito discutido, tendo em alguns países sua prática legalizada e definida e outros que a rejeitam por diversos motivos.

Com relação aos que defendem a prática da eutanásia, considera-se uma forma, ou um caminho para evitar a dor e o sofrimento de pessoas que não têm chances de sobrevier, ou daquelas que viveriam em péssimas qualidades. Um caminho em que o paciente ciente da sua atual ou futura condição, tem o direito de escolher com dignidade e por livre-arbítrio a vida ou a morte. Dentre todos os registros médicos que existem, uma mínima parcela estava em estado terminal e conseguiu de fato, curar-se e viver após a quase tragédia, vários países já adotaram a eutanásia como uma forma legalizada de morte, pois se há tão poucos casos de pessoas que efetivamente se curaram em estado de quase morte, há motivo para fazer toda a grande maioria sofrer até morrer? Os países como Bélgica, Holanda e Suíça, já legalizaram a eutanásia, e estes, são considerados “países de primeiro mundo”, são muito desenvolvidos em relação aos que ainda são contra a prática da eutanásia. Pelo fato da eutanásia ser de livre e espontânea vontade, cabe a cada um saber se quer sofrer ou não, pois mesmo em um país onde não é legalizada, há práticas ilegais deste artifício.eutanasia

Agora quando se fala dos argumentos contra, que por sinal são inúmeros, são com frequência utilizados argumentos desde os religiosos, éticos até os políticos e sociais. A eutanásia é uma prática que vem sido feita há muito tempo, mesmo antes de Cristo, e uma coisa se sabe, o futuro não é certo, um doente em estado terminal pode curar-se pelo simples tempo em que o seu corpo leva para criar anticorpos e os médicos talvez nem saibam disto, ou por ficar mais um tempo tomando remédios e medicamentos, com a eutanásia, todas as chances que o enfermo tem de não morrer, se vão em um simples momento em que alguém pensa consigo: “Ele está sofrendo e não há mais chance”, e o paciente talvez acredite nisto por um médico dizer ou por todos dizerem, e isto acaba afetando as chances que a pessoa tem de continuar tentando, e não desistir de viver.

eutanásia1Em síntese, é perfeitamente compreensível e justo que uma pessoa com a consciência do que lhe vem a acontecer possa optar pela sua morte, lembrando que, a eutanásia não apadrinha a morte e sim o direito da possibilidade de escolha pela mesma.

Geração Z: descrédito para o futuro ou avanço sem limites?

  geracaoZ2Geração Z é um termo utilizado com muita frequência para classificar os cidadãos nascidos em meados da década de 1990 até o ano de 2010. Teoricamente, a mais “avançada”, pois já existiram a Geração X (início dos anos 1960 até o final de 1970) e a Geração Y (refere-se aos nascidos entre 1970 e 1990). Cada geração é designada por algum meio de avanço tecnológico ou científico, prosperidade econômica e facilidade material. Devido a popularização dos meios de comunicação e da internet a Geração Z vê-se em um ambiente de realidade aumentada, praticamente tudo pode ser feito, sem sair de casa ou do sofá, desde se comunicar com um conhecido, até mesmo fazer compras.gerecaoZ1

Não há como deixar de associar a Geração Z com Tim Berners-Lee, o criador do World Wide Web. A Internet foi a maior influência que o mundo teve no século XXI, e a sua grande explosão em termos de popularização se deu justamente no início da Geração Z.

É de conhecimento histórico, que grandes mudanças na indústria, tecnologia, economia, sempre afetaram em grande escala a vida da população, desde o surgimento do primeiro celular em 1947, até o desenvolvimento do sistema 4G para smartphones, tudo sempre facilitou e criou uma tendência para que a velocidade de comunicação e interdependência entre o ser humano e a máquina aumentassem.

gerecaoZEm síntese, a participação direta e constante dos pais conduzindo a Geração Z ao bom uso dos meios tecnológicos que temos disponíveis hoje em grande escala, é fortemente requerida, incluindo o governo junto de outras associações e instituições auxiliar os jovens desde cedo, para estes auxiliarem os próximos. Então permanece a pergunta, a Internet é um recurso obrigatório, necessário para a sociedade de hoje, em questão de conhecimento e aprendizado? Realmente, uma pessoa hoje em dia que vive sem internet não consegue acompanhar uma que usa este meio, seja para mercado de trabalho seja para saber o que está acontecendo no mundo, mas tudo deve ser usado com moderação e de forma que não prejudique ninguém.

Cyberbullying

cyberbullying

O cyberbullying é um termo recente em nossa língua e significa “machucar ou ameaçar alguém mais fraco para forçá-lo a fazer algo que não quer”. São atos que provocam situações de injúria, racismo, misoginia, violência física, verbal e psicológica, de forma rotineira e constante, ou seja, o velho bullying que já conhecemos, só que feito por detrás de uma tela.

O bullying, diferente do que muitas pessoas imaginam, não é algo somente do século XXI, ou fim do século XX. Os livros de história ou romances baseados em épocas passadas nos mostram várias situações de bullying.

Utilizando as redes sociais como principal “arma” para a realização deste método de socialização, os agressores se veem em uma situação em que não podem ser combatidos, atrás de seus teclados e monitores, se encontrarem a vítima ideal (pessoa psicologicamente mais fraca, provavelmente já em estado de depressão ou comprometimento de seu bem-estar mental) irão usá-la para satisfazer o seu ego.
cyberbullying.1

Levando em consideração o assunto que foi abordado acima, a situação é preocupante, a mídia é a própria arma, e a tendência é de nunca abandonar-se a Internet, teoricamente, o cyberbullying tende a aumentar mais e mais, e com ele, os diversos casos de suicídio de jovens e adultos pela extrema humilhação constante a que são submetidos.

Há a chance de combater-se aquilo com que se vive, pois cabe às pessoas evitarem os cyberbullies, e convencer as outras a fazerem o mesmo, pois se esses praticantes não tiverem oportunidades, não haverá o cyberbullying, basta fechar o “chat” de conversa, bloquear a pessoa nas redes sociais, e manter contato mínimo com esta.

 

Pena de Morte

pena-de-morte1A pena de morte é um assunto extremamente polemico, legalizada em certos países, proibida em outros, sempre foi motivo de tabu, com pessoas a favor, pelo fato de acharem que a vida de alguém que mata, estupra, rouba e outros fatores de caráteres hediondos, é dispensável na sociedade. Por outro lado, os que são contra, são muitas vezes pelo fato de ainda haver falhas no sistema, o que gera prisões de inocentes, e se a pena de morte fosse aprovada, vidas inocentes estariam na mão do estado e também porque não se deve tirar uma vida qualquer que seja a situação.

Diariamente encarcerados independente do sexo ou idade, inclusive crianças, acaram o suplício. Tanto culpados quanto inocentes, sem nenhuma prova concreta do contrário, são julgados por um sistema de justiça que estima e opta pela retribuição em vez da reabilitação. pena_de_morteA pena de morte é uma sanção extrema, aviltante e desumana. Sendo uma prática de extrema violenta, ela não deveria fazer parte do sistema de justiça atual, entretanto persiste em alguns países. Embora não haja quaisquer comprovações de que essa pratica venha a ser mais eficiente na diminuição do crime do que outras penalidades severas, a aplicação desse mecanismo impiedoso é justificada pelos governos que alegam que esta previne a criminalidade. A pena de morte é constantemente exercida de forma descomunal contra pobres, minorias, certas etnias, raças e membros de grupos religiosos, sendo portanto, discriminatória. Em alguns países é empregada como um meio de coibição, uma forma impetuosa de emudecer a oposição política.

Em síntese, ulteriormente a se tirar uma vida, em nenhuma circunstancia haverá como reverter esse feito, pois a pena de morte e irrevogável. Posto que o sistema de justiça está sujeito à discriminação, ao preconceito e à inadvertência humana, basta uma imprevidência e é desembainhada mais uma vida insonte. Em último lugar, é essencial lembrar que esse tipo de erro é irreversível.pena_de_morte2

O Alienista- Machado de Assis

Resumo-do-livro-o-alienista-de-machado-de-assisO conto começa quando o Dr. Simão Bacamarte retorna para vila onde nasceu, Itaguaí. Ele resolve dedicar-se inteiramente à ciência, mais especificamente a área da psicologia, e passa a estudar a loucura humana. Funda a primeira casa de orates em Itaguaí, que foi o seu próprio manicômio, a Casa Verde. Casou-se aos quarenta anos com D. Evarista, uma mulher viúva, não bonita e nem simpática, mas explica ele, que casara-se com ela pois possuia uma ótima saúde física e estava apta a ter filhos robustos, sãos e inteligentes, coisa que nunca aconteceu, D. Evarista nunca deu-lhe um só filho.

Depois de fundada a Casa Verde, Simão Bacamarte passou a considerar diversas teorias em seu estudo de quem era de fato louco. Todos os critérios eram regidos pelo alienista, contando também com o apoio e a ordem da Igreja e dos poderes da época. Seguindo esse conceito, o Dr. Simão internou um número alarmante de pessoas. Chegou até ao ponto de levar a sua própria mulher para a Casa Verde, pois certa vez, ela estava indecisa de qual colar usar para um evento importante que tinha, e passou a madrugada tirando e colocando-os para escolher. A população revoltada resolve tramar uma rebelião contra as injustiças cometidas. O motim foi liderado pelo barbeiro Porfírio o qual promete acabar com o manicômio. Não obstante, Porfírio entra em acordo com Simão. A sanção foi suficiente para uma nova revolta liderada, agora, por João Pina, outro barbeiro da cidade. Exércitos de outro território deram um fim às desavenças e o doutor prosseguiu seus estudos.O-alienista

Simão começa a considerar uma outra teoria, de que os loucos seriam aqueles que possuem a mente em perfeito equilíbrio e não os que têm juízo doentio. E como parte do final mirabolante da história, ele resolve liberar todos os antigos loucos e interna agora o padre Lopes, a esposa de Crispim e Porfírio. Passado-se um tempo, até que os novos internados pudessem revelar algum tipo de desequilíbrio, Simão Bacamarte libera-os.

Sentindo-se insatisfeito com os resultados de sua pesquisa, começa a estudar-se, e questiona-se aos amigos se possui algum defeito, os mesmos lhe dizem que não, assim, passa a considerar-se de fato o único equilibrado da vila e tranca-se na Casa Verde. Por fim, morre após dezessete meses.

Aborto

direito-ao-abortoDesde muito tempo até hoje, é bastante discutida a questão da legalização do aborto, que trata-se da interrupção da gravidez pela “morte” do feto. De um lado feministas juntamente com apoio de diversos movimentos sociais lutam pela legalização, e do outro lado a igreja católica e outras organizações religiosas tentam condenar essa prática. Se parar para pensar, é um tanto absurdo o Brasil ainda não ter o aborto legalizado, sendo que é comprovado não só por esse motivo mas por outros, que os países que já abortaram essa prática tem um índice de desenvolvimento humano superior.

Há em média um milhão de mulheres fazendo aborto por ano em clinicas clandestinas e milhares delas sofrem de hemorragias ou outros problemas e acabam morrendo. E então pode-se perguntar, por que aceitar isso? Por que não dar a devida orientação médica e psicológica que elas deveriam receber? O aborto inseguro é uma realidade no país, e agora o assunto trata-se de uma questão de saúde pública, e as mulheres não devem pagar para realizá-lo, sobretudo as que sofrem de problemas econômicos, que acabam pagando com as suas próprias vidas. Algumas mulheres têm melhores condições e acesso a clínicas com todos os equipamentos e profissionais necessários, mas essa não é a realidade para a maioria das mulheres com dificuldades financeiras e que constituem a maior parte da população, e muitas vezes sem outras opções acabam por realizar o aborto inseguro, resultando em maiores riscos à saúde e à própria vida.aborto_legalizar

As mulheres têm sim o direito de decidir se querem ou não ter aquele filho, até por que são elas que vão de fato ter a criança e não o homem. E muitas vezes elas não têm as condições necessárias para se criar um filho. E muitas por sua vez, acabam literalmente dando as suas vidas, nessas clínicas clandestinas pela precariedade dos cuidados com a saúde. O aborto não deve ser permitido quando for somente casos de estupro ou quando por em risco a saúde da mãe, mas também como uma liberdade de escolha da mulher. O Estado não deve interferir de forma alguma na autonomia da gestante, cabe a ela decidir por si se a gravidez vai ser levada adiante, o consentimento da mesma deve ser obrigatório, e ela deve ter toda a ajuda médica e psicológica para a sua escolha.

Memórias Póstumas de Brás Cubas- Machado de Assis

mpbcÉ importante salientar q o livro é contado não por um autor defunto, mas por um defunto autor, que ironicamente morre tentando curar o mundo.
O narrador decide ,inicialmente, começar a sua história pelo fim, assim o capítulo começa com a morte de Brás e seu enterro. Brás Cubas nasceu no dia 20 de outubro se 1805, numa família da elite do Rio de Janeiro, foi mimado durante toda a sua infância e era extremamente travesso. Prudêncio, um moleque escravo da família, era seu cavalo de todos os dias. Mesmo com tudo isso, Brás conta que cresceu normalmente. Ia à escola, e lá, conheceu um de seus melhores amigos de infância, Quincas Borba, com quem se reencontra mais tarde.
A primeira mulher de sua vida é uma prostituta espanhola, Marcela, ele a conheceu quando tinha 17 anos. Brás confessa-se muito apaixonado nesse período, e conquistou-a, contudo isso lhe custou muitas joias caras e presentes diversos. O pai receoso do envolvimento do filho com uma prostituta, resolve mandá-lo para estudar na Europa, mais especificamente em Portugal.
Volta pela morte de sua mãe,as chega a tempo de vê-la viva, a causa de sua morte foi um câncer no estômago. Depois disso o pai começa a encaminhá-lo para um casamento digno com Virgília por interesses políticos para que o filho assumisse alguma participação na política, já que ela é parente de um ministro da corte. Esse foi o momento da vida de Brás em que ele teve o seu segundo e mais duradouro amor, entretanto ela se casa com Lobo Neves, que além de roubar o seu noivado, rouba a sua candidatura. O pai não resistiu ao fracasso do filho, e morreu quatro meses depois.
mpbc1
Mesmo casada, Brás conta que ainda teve vários encontros e fala da paixão que sentiam. Após algumas acontecimentos o romance dos dois amantes encerrou.
Continuou a sua vida basicamente ao lado de Quincas após reencontrá-lo. Nos seus últimos dias viu Quincas morrer.
Quanto ao amor do Brás e da Virgília, na minha opinião ela o amou com diferentes intensidades ao longo da vida, mas realmente o amava, e na hora de sua morte, Brás conta que o amor da Virgília era muito mais fraternal que uma paixão.