o centauro no jardim1O Centauro no Jardim é um romance que conta a história de uma figura mítica meio homem meio cavalo rejeitado pela família em seu nascimento e isolado do mundo desde a infância, que um dia resolve fugir e desafiando todas as probabilidades encontra o amor da sua vida.
Desde o momento em que nascera até a aceitação da família, quem cuidara dele fora a parteira. Guedelli, o nome do centuaro, cresceu com duas irmãs queridas que o amava e um irmão que tinha inveja dele pela atenção que recebia. Sua família viera da Rússia para uma fazenda no interior do Rio Grande do Sul, Guedali teve dois amigos em sua infância, mas não eram de fato amigos do centaurinho. O primeiro foi Peri, um indiozinho avistado apenas uma vez por ele, e o segundo foi Pedro Bento, seu vizinho, um rapaz de péssimo caráter, que inclusive foi o ápice para que o pai de Guedali decidice se mudar para Porto Alegre.
Aos vinte e um anos Guedali resolve fugir de casa e vai parar num circo, lá ele encontra uma domadora de leões e a convence de que são duas pessoas numa fantasia de centauro e é com ela que ele tenta ter a sua primeira relação sexual, mas tudo da errado quando ela percebe que ele é de fato um centauro então ele foge trotando para longe até que se depara com Tita e vê que ela é uma centaura, esta estava fugindo do pai que queria matá-la, mas tem um ataque cardíaco de tanto correr atras dela que morre. Tita leva Guedali consigo para sua casa e logo se apaixonam.
Quanto ao resto da história, quem quiser saber terá de ler o livro, mas envolve tramas e traições que no final os dois percebem que devem ficar juntos. E em relação ao livro, ele termina no mesmo lugar em que começou em São Paulo num restaurante tunisino chamado Jardim das Delícias, onde Guedali está com Tita e seus amigos comemorando o seu aniversário. Admito que um fator realmente intrigante na história, seja o final dela, pois neste restaurante, está Tita contando a história deles para os amigos, mas uma história completamente diferente, como se fosse uma nova versão sem que eles fossem centauros, e de fato ela tinha uma explicação coerente para todos os fatos ocorridos, deixando o leitor na dúvida de qual das versões é a verdadeira. Não irrelevante o objetivo do autor com o livro, que foi realmente transmitir essa ideia da dupla personalidade dos judeus quer racial quer religiosa.