O Cortiço- Aluísio Azevedo

O livro “O Cortiço”, se passa no Brasil, conta a história de um português, João Romão, que trabalhava para um mercador dono de uma venda, e este, quando retorna para portugal, deixa sua loja para seu funcionário. João Romão,sendo um homem muito esperto e também ganancioso, economizava até o último centavo, sempre comendo as piores verduras e vendendo as melhores safras, vestia-se mal e não cuidava-se muito.

Havia uma mulher, ou melhor dizendo, uma escrava, a Bertoleza, que cuidava de uma quitanda vizinha, e sempre tinha de pagar um valor mensal para seu patrão. Quando o seu “amigo” falece em um acidente, ela se vê sozinha e João Romão aproveita-se disso. Ele passa a relacionar-se com a escrava, e forja um documento de alforria, dizendo que comprara sua liberdade, mas na verdade só a deu como fugida para seu dono. Ela, muito grata e lisongeada pela chance de relacionar-se com um homem de uma raça superior, um português, passa a conviver com ele, e aos poucos, João Romão controlava todas as suas economias.

Pouco tempo depois, muda-se para um sobrado vizinho a sua venda, um português, o Miranda, que por contas das traições da sua mulher, desloca-se do centro da cidade até esse novo bairro. Miranda e João Romão têm uma série de desentendimentos por conta de disputas territoriais pelos fundos de suas casas.

João Romão, após expandir seu território, e também comprar uma parte de uma pedreira, daonde retirava os materiais para suas próprias construções, começou a levantar casinhas, e operários e lavadeiras mudaram-se para lá, e esse conjunto de casinhas, aos poucos começou a se desenvolver, esse cortiço, “ganhou vida”, e tornou-se um organismo vivo, que, segundo a descrissão do autor, multiplicava-se, como larvas num esterco. Até tornar-se o cortiço mais desejado pela classe dos proletariados da cidade, o São Romão.

Miranda, sempre inconformado com o sucesso de seu vizinho, pois este não se cuidava e não tinha a menor classe, resolveu comprar o título de Barão, status que afetou muito João Romão.

O livro começa a introduzir diversas figuras que viviam naquele cortiço, contando como era a comunidade naquele espaço. Cada uma das pessoas que ali viviam, têm uma história diferente para contar, cheia de tramas, violência, assédio, mortes, disputas amorosas, entre outras.

Um dos personagens é pombinha, uma menina ainda criança, que escrevia cartas para os moradores. Sua mãe estava muito ansiosa para que chegasse a sua mestruação, para poder casar a sua filha e subirem de vida, mas, sem o conhecimento de ninguém, a garota foi assediada por uma antiga moradora. Após esse evento perturbador, sua menstruação finalmente chegou, e foi divulgada com muita alegria pela sua mãe para todos os moradores.

Outro personagem muito importante na história é Jerônimo, um homem honesto e trabalhador, que vem de Portugal com a sua família e mudam-se para o cortiço. Personagem que o autor faz questão de enfatizar que a sua corrupção foi dada a partir do momento em que apaixona-se por uma brasileira, Rita Baiana. Ele passa a ficar mais desleixado, trabalhar menos, e ser mais preguiçoso, igual a um brasileiro qualquer de classe baixa. Esta, porém, já estava envolvida com outro homem, Firmo, mas nem isso, nem o próprio casamento de Jerônimo, impediu os dois amantes de ficarem juntos no final da história.

Seu romance passa por algumas turbulências, principalmente por não ter sido bem aceito por Firmo, que após uma briga, acaba sendo expulso do cortiço.

Um cortiço concorrente surge no mesmo bairro que o do João Romão, que no início não aceitou muito bem esse novo estabelicimento, insentivando conflitos entre os próprios membros dos cortiços, mas depois ele percebeu que na verdade, seria bom para o desenvolvimento do bairro.

Firmo se vê como o novo lider desse novo cortiço, conhecido como os cabeças-de-gato, e orquestra um ataque contra Jerônimo, o qual acaba por matá-lo, antes mesmo que possa agir.

Após a morte de Firmo, toda a comunidade dos cabeças-de-gato anseia por vingança, e resolvem atacar o cortiço de João Romão, e uma moradora num acesso de loucura, põe fogo em sua casa, mas o problema se agrava quando o fogo começa a se alastrar pelo cortiço. Dada a confusão, a polícia chega para conter, então os dois cortiços se unem, e se ajudam a recuperar os bens queimados.

Um acontecimento um tanto marcante em meio a essa tragédia, é quando um dos moradores entra lá para resgatar seus bens, e João Romão o segue, mas quando vê que se tratava de vários potes com dinheiro, mata o homem e leva suas riquesas, mesmo já possuindo muitas.

A partir desse envento, João Romão tem de restaurar o seu cortiço, mas dessa vez, ele não economiza em nada e acaba por inaugurar o maior e melhor cortiço da cidade, onde o público não se tratava mais de lavadeiras e operários, mas também de artistas, estudantes, funcionários públicos e entre outros. Também passa a vestir-se melhor, e cuidar-se de si, até que passa a ser visto por outros olhos por Miranda, seu vizinho que morava no sobrado ao lado e que possuiam algumas rivalidades.

Um novo objetivo se consolida na cabeça de João Romão, casar-se com a filha de Miranda, Zulmira, herdando assim seu título de Barão e mais alguns dotes, esse, concede a mão de sua filha. Então a presença de Bertoleza passa a ser um problema, que é resolvido facilmente já que a negra nunca deixara de ser escrava, pois sua carta de alforria era falsa. A moça sempre fora muito trabalhadora, prestativa e amiga, mas mesmo assim, João Romão, junto com seu companheiro, Botelho, a deletam para seu antigo dono, que quando vem buscá-la junto a policiais, depara-se com a negra cravando uma faca em seu próprio corpo para não ser levada embora.

O cortiço continuou crescendo e evoluindo, e atraindo pessoas com condições cada vez melhores, de modo que o cabeça-de-gato ficou com todo o “lixo” que aos poucos o São Romão foi se livrando.

Termina com uma comição de abolicionistas vindo trazer um diploma de sócio benemérito a João Romão.

O livro ressalta bastante a superioridade dos portugueses em relação aos brasileiros em diversas partes, principalmente quando conta que a escrava ficou estremamente lisongeada por ter a chance de relacionar-se com um homem de uma raça superior. Também enfatiza o homem como um ser ganancioso que só se importa com as suas necessidades e em sempre crescer financeiramente e socialmente em meio a esse sistema capitalista em que se encontra, representado pela figura do João Romão.

Memórias Póstumas de Brás Cubas- Machado de Assis

Contexto Histórico

O Brasil, que fora há muitos anos atrás, uma colônia de Portugal, explorado, tendo toneladas de ouro levadas pela metrópole, e seus habitantes escravizados, conquistou a independência. Diferentemente do que aconteceu com outros países da América, a emancipação do Brasil, foi uma negociação paga e sem guerra feita pelo próprio príncipe de Portugal. Onde a elite nacional, a monarquia portuguesa e a Inglaterra entraram em consenso.

Essa independência só foi de fato possível após a chegada da corte portuguesa ao Brasil. Portugal, que se encontrava pressionado pela França, pois Napoleão havia decretado o Bloqueio continental, e fechado assim os portos ao comércio com a Inglaterra, sua inimiga comercial. Como os portugueses não aderiram a essa medida, toda a família real teve que fugir para o Brasil, antes que a França invadisse suas casas. Sob as proteção da Inglaterra que só tinha interesse em poder comercializar com o Brasil. Com a chegada dos monarcas, trouxeram consigo muitos livros, e construíram uma biblioteca, e universidades, fatores que começaram a desenvolver o Brasil, e criar uma elite, que mais tardiamente vai exigir uma independência.

Obviamente que tiveram algumas revoluções internas, como a Conjuração Mineira e a Conjuração Baiana, que foram as mais famosas, e também, após a derrota de Napoleão, Portugal passou a exigir o retorno de seu monarca. No entanto o príncipe regente, D. Pedro permaneceu no Brasil e em 7 de setembro de 1822 declarou a independência. Foi aclamado imperador, e ele mesmo redigiu a primeira constituição brasileira, onde nem todos eram considerados cidadãos e a escravidão persistia.

Sobre o Livro

O livro Memórias Póstumas de Brás Cubas tem uma forte característica que é o fato de se narrado não por um autor defunto, mas sim por um defunto autor.

Machado de Assis foi um grande escritor de sua época justamente por se considerar que ele introduziu o realiasmo no Brasil, e por ser um dos únicos a comunicar-se diretamente com o leitor.

O escritor teve duas fases literárias, a primeira marcada pelo romantismo e a segunda pelo realismo, e esse livro teve como papel principal, a transição entre elas.memorias-postumas-bras-cubas

Resumo

O autor decide começar o seu livro pelo final, e conta da sua morte, por pneumonia, e os que estavam a observa-lo. E dedica um capítulo do livro para falar dos seus delírios antes de morrer.

Depois ele decide voltar para o começo, sua infância, onde ele conta que fora um menino muito travesso, porém muito amado pelo seu pai. Conta sobre sua escola, e algumas de suas traquinagens.

E então, pulamos para o seu primeiro beijo, aos dezessete anos, que no livro encontramos a seguinte citação: Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis. Ele cobriu a menina de joias e tudo mais o que ela queria, mas ela nunca o amou. Os gastos foram tantos que seu pai decidiu mandá-lo para estudar na Europa, e assim, deixou Marcela, e foi.

Ele não fala muito sobre o seu tempo na Europa, mas quando sua mãe adoece, ele tem de retornar ao Rio de Janeiro, e chega a tempo de vê-la antes de morrer.

Nas primeiras semanas depois da morte da sua mãe, ele permanece em uma velha casa da propriedade de sua família na Tijuca, onde encontra a Dona Eusébia, uma velha amiga de seus pais, e sua filha, Eugênia, que era manca desde a infância. Seu pai resolve visitá-lo e oferece a ele uma oportunidade de casamento com Virgília, filha de um conselheiro com grande influência política. E tenta convencê-lo a tornar-se político.

Então ele resolve aceitar a proposta de seu pai, Virgília e a Câmara dos Deputados, mas antes visita Dona Eusébia, onde acaba tendo um caso com sua filha, Eugênia. Depois disso, ele a deixa e vai ao encontro de seu pai.

O plano era casar-se com Virgília e conseguir uma boa posição política, mas os dois acabam sendo tomados por Lobo Neves, e seu pai acaba morrendo de desgosto. E seus filhos e o genrro passam a disputar os seus bens.

Brás torna-se então um homem solitário, focado na política e criando obras literárias e acaba por conquistar a fama de poeta. Até que um primo de Virgília informa que ela e seu marido, Lobo Neves, haviam retornado ao Rio de Janeiro. Então ele passa a visitar o casal constantemente e um tempo depois, torna-se amante de Virgília.

Por conta das suspeitas de seus amigos, os dois amantes resolvem arranjar uma casa no bairro da Gamboa para seus encontros, sob os cuidados de uma ex-criada de Virgília que encobria tudo.

Por meio de algum informante anônimo, Lobo Neves acaba descobrindo sobre os encontros, e logo após ser eleito presidente da província, ele deixa a cidade levando Virgília consigo, e assim acaba o relacionamento entre os dois amantes.

Brás então se reencontra com seu velho amigo de infância, Quincas Borba, que faz algumas teorias filosóficas e encanta o autor com suas teses.

Enquanto isso, a sua irmã tenta lhe arranjar uma nova pretendente a Nha Loló, a qual ele tem intenções de se casar, mas antes que possa realizá-lo, ela falece, vítima da febre amarela.

Até que finalmente torna-se deputado, e passa a trabalhar ao lado de Lobo Neves, e numa festa, reencontra Virgília, ainda com sua beleza estonteante, mas nada acontece entre eles.

Aos cinquenta anos sua carreira de deputado chega ao fim, e ele passa a dedicar-se às discussões filosóficas ao lado de seu companheiro Quincas. Período o qual analisam a exiatência humana.

Brás lance um jornal criticando os governantes, e isso vai contra as ideias de seu cunhado, mas após o jornal parar de circular, ele tenta reaver os laços com este. E é quando começou a dar um verdadeiro sentido a sua existência.

Passou a trabalhar em um hospital, onde viu Marcela, seu primeiro amor, desprovida de qualquer beleza, deixar a vida. E em um cortiço, encontra Eugênia, que permanece manca.

No funeral do também falecido Lobo Neves, ele pôde perceber a real dor de Virgília. Pouco tempo depois, seu amigo Quincas, também falece.

Brás resolve então, produzir um remédio, Emplasto Brás Cubas, que amenizaria a tristeza do homem e curaria a hipocondria humana. Mas seus objetivos não eram somente humanitários, ele pretendia lucrar com aquilo e ganhar fama.

E algumas de suas falas que marcaram bastante o ultimo capítulo do livro. “Não alcancei a celebridade do emplasto, não fui ministro, não fui califa, não conheci o casamento” “Coube-me a boa fortuna de não comprar o pão com o suor do meu rosto” “Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria”.

A luta pela liberdade

Embora a escravidão no Brasil tenha sido abolida em 1888, ainda pratica-se tamanha blasfêmia, porém é tudo mais disfarçado. Há pessoas expostas a condições de trabalho deploráveis, muitas vezes forçados, ou por dívidas; há até mesmo o próprio tráfico humano ou sexual e a exploração laboral.

escravo-7e98b2O Brasil tem um dos menores índices de escravidão de todo o continente americano, mas não deixa de abrigar 155,3 mil pessoas nessa situação. Um dos casos mais famosos são pessoas que imigram em busca de condições de vida melhores, e por falta de oportunidades, acabam se submetendo a péssimos salários e horas extras ilegais, e tudo isso muitas vezes sob ameaça de deportação. Outro caso muito famoso e que ocorre com frequência principalmente nas zonas rurais, é a escravidão por dívida. São trabalhadores agrícolas muito pobres, motivados por promessas de bons ganhos e que quando chegam ao local de trabalho, contraem uma série de dívidas pelo transporte, alimentação, entre outros, e que sempre se acumulam. Acabam, portanto, escravos dos grandes fazendeiros por possuírem alguma espécie de despesa com estes. Na tentativa de fuga, são capturados e duramente reprimidos, servindo de exemplo para que os outros não façam o mesmo.

É importante destacar também o tráfico sexual, que são na maioria das vezes garotas normais, adolescentes, atraídas por uma série de anúncios, propagandas e oportunidades para serem modelos. Então elas saem de seus países ou estados, escrevidao-sexuale ao chegarem na suposta agência de modelos, recebem a notícia de que contraíram défices com passagens, alimentação e alojamento, e para pagá-los deverão manter relações sexuais com diversos parceiros. Ficam dessa forma presas, alimentando os bolsos do rufião, e essa prática, mesmo que lamentável, gera milhões de dólares ao ano e é a terceira maior fonte de renda ilegal do mundo.

O Brasil está entre os países cujo governo está buscando respostas para esse problema e muitas medidas devem ser tomadas. Começando pelo encorajamento das empresas a pressionarem e igualmente lutarem pelo banimento dessa prática; ensinar as crianças tanto nas escolas, quanto dentro de casa sobre os perigos do tráfico de pessoas e conscientizá-las dessa realidade, para se atentarem aos riscos no futuro; criar campanhas para que o governo passe a oferecer toda a assessoria possível para os imigrantes que chegam no país, como cursos de língua portuguesa e assistência social, para que se integrem na sociedade; e também aumentar a fiscalização nas áreas rurais, certificando-se de que tais práticas jamais sejam realizadas novamente. Só assim surgirá um Brasil mais seguro, justo e igual.

Alienação Midiática

charge-midia3-web-alienaçãoControlados pela mídia, é assim que segue uma esmagadora parte da comunidade, desde as crianças até os adultos. São impulsionados a comprar e seguir os preceitos e morais introduzidos pelo maior meio de alienação conhecido até hoje, a televisão.

A televisão, mesmo com todos os seus divertimentos, não surgiu e nem está aqui hoje somente como um mecanismo de entretenimento para o público, mas está presente com objetivos ocultos comerciais e políticos. Há toda uma lógica por de trás disso, desde a conquista da audiência, até fazê-la comprar tudo o Consumir opinião pronta, o máximo da alienaçãoque é anunciado. Então em vez de ser utilizada como um meio de disseminar a cultura, ela é usada para influenciar e manipular a mente das pessoas de acordo com os interesses dos empresários e dos políticos que estão por trás de todos esses esquemas. Simplificando, a população pensa, come, anda, se veste, vive, do jeito que a mídia quer.

As pessoas não se dão ao trabalho de correr atrás da informação, até por que é muito mais fácil simplesmente sentar no sofá, ligar a televisão, e assistir ao que está passando. Mas o que é transmitido, muitas vezes pode estar distorcido, ou alterado, e a consequência disso é a alienação e a aculturação. Os telespectadores além de perderem a capacidade de raciocinar ou pensar por si próprios, tornam-se carentes de informação e conhecimentos gerais do que está acontecendo no mundo e até mesmo no próprio país.

nao-penso-nao-existo-so-assistoEmbora exista toda uma tentativa da mídia de alienação da população, há meios de não se deixar levar. Como por exemplo, não aderir somente a televisão como o único meio de se obter conhecimento, e sim começar a pesquisar por conta própria em sites na internet, aí então terão uma formação mais equilibrada e consciente sobre diversos assuntos polêmicos, e uma maior capacidade de reflexão sobre estes.

A violência urbana

18_violênciaA violência urbana vem aumentando drasticamente à medida que a desigualdade aumenta também, e tem deixado um número absurdo de vítimas. Um problema crescente que afeta a todos dentro de uma comunidade desde as classes mais baixas até as mais privilegiadas.

Não constuma-se parar para pensar as causas desse problema, mas o aumento na população, seguido da falta do acompanhamento da infraestrutura urbana, deixou milhões de pessoas sem acesso as necessidades básicas de um ser humano, como saneamento básico e moradia, por exemplo. A SOCIEDADE E SUAS COBAIAS_violênciaMuitos não tem empregos, nem boas condições de saúde, nem uma educação de qualidade, ou se quer qualificação proficional, fatores que acarretam em graves problemas sociais, como a desigualdade. Essas pessoas assaltam, e muitas vezes matam, para obter as coisas vitais que todos precisam. Resumindo, quem não tem, vai dar seu jeito de ter, seja com violência ou não.

É frequente e crescente o número de assaltos em estabelecimentos comerciais, como lojas, farmácias, padarias, postos de gasolina, entre outros. Eles ocorrem tanto durante o dia como a noite. Sem contar que são altíssimas as chances de ser assaltado enquanto anda por aí. Ou seja, deixou de ser seguro sair na rua até para ir na esquina da sua casa. E essa violência é responsável pela morte desnecessária de milhares brasileiros.

c6ad0a0ff73e4513808b562de42a0b63_violncia.2Em síntese, a verdadeira raiz da violência é a desigualdade. E o único meio de reduzir esse tipo de violência é reduzindo esta. Mas como fazer isso? Simples: acabando com as escolas privadas, consequentemente melhorando e muito o ensino público, dando um aumento de salário considerável para os professores, universalizando a saúde pública e disponibilizando diversos empregos.

A obsolescência dos produtos

obsolescencia3A obsolescência dos produtos tem se tornado um problema crescente na atual sociedade capitalista, e o maior dos problemas é a alienação da população diante dessas questões. Cada vez mais a durabilidade desses produtos tem sido explorada para que os consumidores estejam constantemente comprando novos utensílios ou eletrônicos, ou simplesmente substituindo os que já possuem por “melhores”.

obsolescencia2

A mídia, aliada das grandes empresas responsáveis pela produção desses produtos, além de bombardear uma imensa quantidade de propagandas, omite a obsolescência de tais materiais. Telefones celulares, computadores, televisões e outros objetos são diariamente permutados por novos modelos impostos pela mídia, na maioria das vezes sem necessidade.

O resultado de todo esse consumo acelerado e desnecessário são os acúmulos de diversos materiais não recicláveis em aterros e lixões. Sem contar que o sistema capitalista tem objetivos INFINITOS diante das questões de superprodução e consumo, e vale a pena resaltar que o planeta terra é FINITO. obsolescencia1Então resumindo, basicamente vai chegar uma hora em que tudo o que se conhece hoje, vai estar enterrado em um monte de lixo, e não vai existir mais matéria prima para se produzir nada. Mas um jeito de acabar com essa produção em massa desses eletrônicos é conscientizar as pessoas para que elas não comprem com tamanha compulsão algo que elas não necessitam, e passem a exigir produtos de maior qualidade, durabilidade e sustentabilidade.

Will & Will- John Green e David Levithan

willO livro conta a história de dois adolescentes com o mesmo nome, Will Grayson, que se conheceram numa noite ao acaso dentro de uma sex shop em Chicago. Um deles estava lá porque queria um motivo para usar a sua nova identidade falsa, já que acabara de ser barrado em um show, e o outro para encontrar seu suposto amor.

O primeiro Will, o Will hetero, mora em Chicago e tem um melhor amigo chamado Tiny Cooper, um gay extremamente extrovertido. E através de Tiny que ele conhece Jane, e apesar de suas políticas de nunca se apaixonar o deixem confuso, ele começa a se interessar por ela.

Jane ainda está passando por conflitos devido ao seu recente término com seu ex-namorado, o que complica ainda mais a relação deles.

O segundo Will, o Will gay, tem a vida um pouco mais conturbada. Com seus pais separados, e a sua mãe sempre deprimida em casa assistindo seriados romanticos, ele se tornou um adolescente um tanto “rebelde” que está sempre de mal com a vida e com o mundo. Tem poucos amigos, e nem curte ficar muito com eles, mas entre eles há um amigo um tanto mais especial, o Isaac.

Isaac foi um rapaz que ele conheceu pela internet, e embora conversassem há mais de um ano, nunca se viram pessoalmente e nenhum de seus amigos sabia sobre ele. Mas Will tinha certeza de que Isaac era real já que já vira diversas fotos dele em seu facebook. E no meio de tanta conversa, decidiram que seria uma boa ideia se encontrarem.

O ponto de encontro acordado foi em Chicago em uma loja, e como Will não conhecia a cidade, resolveu confiar nele e aceitou. Mas para a sua surpresa, quando chegou la era uma sex shop. Mesmo assim entrou e resolveu esperar. Lá dentro ouviu o atendente chamar por Will Grayson, mas não estava chamando por ele e sim pelo outro Will, e foi assim que se conheceram.

Papo vai papo vem, e Will ainda espera insistente por Isaac, que não aparece. Até que recebe uma ligaçao de sua amiga, ela lhe disse que Isaac não apareceria, ele sem entender por que ela estava dizendo aquilo e como ela sabia de Isaac, simplesmente a ouve dizer: porque eu sou Isaac.

E em meio de tanta confusão ele se vê no final da noite beijando Tiny Cooper no banco de um parque no meio de Chicago, e no início de um provável promissor relacionamento.

O livro é intrigante, e com um final mais do que o esperado, mas o desenvolver da história é reconfortante e bem gostoso de se ler, sendo ele todo dividido em capítulos que alternam entre os Wills. Um tanto angustiante a espera até o momento em que se encontram, mas após isso a história se desenrola muito bem e digo-lhes que vale a pena lê-lo.

 

Deixe a Neve Cair

deixe a neve cairDeixe a Neve Cair é um livro que se passa no natal em uma pequena cidade isolada por uma grande nevasca, com três histórias de romances interligados, mas cada um contado por um autor diferente. Os jovens do livro tem muito mais semelhança entre si do que pensam, e como nada do que eles planejam acontece, restam esperar que seu milagre de natal aconteça.

O Expresso Jubileu

Jubileu era uma garota comum, com alguns problemas com o seu nome, mas isso não a afetava, e tinha um namorado chamado Noah. Mas o drama da história realmente começa quando seus pais são presos por estarem presentes em um evento de vendas de peças da Cidade do Papai Noel Flobie e o advogado de seus pais diz que ela deve ir de trem à Flórida para ficar com seus avós, tendo que deixar seu namorado no natal.

Nesse trem ela conhece um garoto chamado Jeb que está indo para uma outra cidade encontrar a sua ex por problemas que eles tiveram, e também entram nesse trem várias líderes de torcida. Até que de repente o trem para por conta da nevasca, e eles ficam atolados em um monte de neve. Jubileu que não aguentava mais ficar naquele trem com as líderes de torcida, resolve sair e se aventurar pela neve e encontra uma lanchonete aberta, a Waffle House.

Lá, ela conhece um outro garoto, chamado Stuart, que ainda estava se recuperando de um coração partido por uma traição. Enquanto isso, ela tenta se comunicar com Noah e explicar tudo o que esta acontecendo, mas este não estava dando muita atençao para ela e sim para o seu natal. Jeb e as líderes de torcida também resolvem ir para lá, até que Jubileu se cansa e aceita o convite de Stuart para ir à casa dele. Mas o que será que vai acontecer após isso?

O Milagre da Torcida de Natal

Tobim e seus amigos, JP e Duke (uma garota), estao em casa assistindo a uma maratona de filmes do James Bond até que recebem uma ligação de um amigo que estava trabalhando na Waffle House dizendo que tinham acabado de aparecer muitas líderes de torcida por lá, e que era para eles chegarem urgente antes que os amigos dos outros caras que trabalhavam lá chegassem, pois não iam deixar que muitos entrassem.

Após isso, eles disparam em uma corrida contra os outros para ver quem consegue chegar na Waffle House primeiro e uma série de acontecimentos inesperados desfavorecem suas chances, ao mesmo tempo em que Tobim vai percebendo coisas em Duke que nunca havia notado antes, coisas que ele passou a se interessar mais. Mas quem será que chegou a Waffle House primeiro? E o que aconteceu após isso?

O Santo Padroeiro dos Porcos

A terceira e última história chama-se “O Santo Padroeiro dos Porcos”. Addie estava em um estado deplorável desde o término do seu namoro com Jeb, pois em uma festa eles haviam brigado, ela bebeu e acabou traindo-o. Eles haviam combinado de se encontrar para conversar sobre o acontecido, mas por algum motivo que ela não sabe, ele não apareceu. Duas de suas amigas foram em sua casa tentar consolá-la, e após muito papo, o assunto se voltou para uma outra coisa.

Sua amiga tinha uma coleção imensa de objetos e retratos de mini-porcos (são porquinhos selecionados especialmente para não crescerem), e seu maior sonho era ter um, e de presente ela ia receber um que estava chegando na cidade e iam deixá-lo na pet shop, mas com a nevasca não poderia buscá-lo muito cedo. Suas amigas, tinham alguns problemas de confiança em Addie, pois a achavam irresponsável, e no intuito de mudar isso ela se ofereceu para buscar o porquinho, já que trabalhava em frente a loja de animais e tinha o carro certo para andar nessa situação.

No dia seguinte ela foi trabalhar ainda deprimida por não ter mais noticias de Jeb, e uma série de enventos aconteceram que a impossibilitaram de pegar o mini-porco no horário combinado, e quando ela chegou na pet shop, já haviam comprado ele. Será que ela vai conseguir o porco de volta? O que que as suas amigas vão pensar dela? E o mais importante, o que acontecerá com Jeb?

Querido John- Nicholas Sparks

20140923-querido-johnUm romance com um final extremamente inusitado de uma história contada por um homem, chamado John, que quando jovem fora rebelde e na tentativa de amadurecer se alistou no exercito. Em suas licenças ele voltava para casa e ficava com seu pai, que só sabia falar sobre moedas e não tinham uma boa relação.

Certo dia estava na praia e um grupo de jovens passou por ele, entre eles, uma garota chamada Savannah chama sua atenção. E após deixar cair sua bolsa no mar, ele pula para pegá-la, e a partir disso ela o convida para juntar-se a eles em uma fogueira que haveria mais tarde naquele dia, e depois de muita conversa, decidem se ver novamente. E o previsível acontece, os dois se apaixonam ao longo das duas semanas que ele tem da sua licença.

Savannah o apresenta para o seu melhor amigo Tim, e John a aprenta para seu pai, que acaba descobrindo ser autista. Depois disso sua relação com o pai melhora e muito pois John passa a compreendê-lo.Frase-Querido-John

Até que o dia em que eles têm que dizer adeus chega, John volta para o exército e Savannah para a faculdade, mas se despedem com a promeça de que quando John voltar se casarão e viverão juntos.

Através das cartas, e-mails, e telefonemas, continuam mantendo contato. Até que um ano se passa, e chega sua próxima licença, e os dois pombinhos podem se ver novamente.

Um inesperado acontecimento, que foi o atentado às torres gemeas em onze de setembro de dois mil e um, faz com que todo o seu pelotão continue na guerra, então sem consultar Savannah, John se realista, fazendo com que ela tenha que esperar mais dois anos para que possam ficar juntos.

Com o passar do tempo, John percebe que a frequência das cartas dela vêm diminuindo, até que certo dia ele recebe uma carta dizendo o que mais temia, que ela havia se apaixonado por outro.
Após essa noticia devastadora John se realista pela segunda vez ignorando quaisquer chances de ir atrás do seu amor, e quem quiser saber o desfeixo dessa história fascinante terá de ler o livro, mas garanto que adorarão o final por ser bastante surpreendente e inesperado.